Domingo, 3 de julho de 2016 às 19:24 em Resenhas
RESENHA: SORCIER DES GLACES - North

 

 

Sorcier des Glaces - North

É incrível a quantidade de bandas excepcionais que o underground produz assim como é incrível a quantidade de pessoas que viram as costas para essas bandas, preferindo ficar apenas nas tradicionais.

Uma pena que parte dessas pessoas não conhece ainda a canadense SORCIER DES GLACES.

"North" é o sexto álbum da banda, lançado no início deste ano e que somente agora chegou às minhas mãos.

O disco já começa de maneira grandiosa em "Passage Au-Dela Des Glaciers Noirs". A faixa mais curta do disco serve como uma bela introdução, mostrando que a banda cultua aquele Black Metal gélido do início dos 90.

"(To the)Snow-Crowned Mountains" lembra e muito o clima que o Black Metal nunca deveria ter perdido. Seu andamento arrastado, harmonizando com um teclado mais que inspirado e os vocais típicos do estilo mostram que a banda é uma das mais interessantes do momento.

Interessante como a SORCIER DES GLACES prova que músicas longas nem sempre são cansativas. As músicas ultrapassam facilmente os 6 minutos ("La Noirceur Eternelle", por exemplo, ultrapassa os 7 minutos) e nenhuma delas transforma a audição de "North" em algo cansativo.

Um dos melhores momentos do disco vem em sequência: "Storming from Beyond" já nasceu clássica! Desde sua introdução horripilante (como o Black Metal tem que ser), passando pelos riffs inspiradíssimos e a tradicional cozinha do estilo, esta faixa deveria ser obrigatória para todo aquele que pensa conhecer o estilo. Merecem destaques também os vocais de Sébastien "Roby" Robitaille (também responsável pelas guitarras e baixo - Luc Gaulin completa a formação da banda, na bateria - nesta faixa). Perfeitos!

Desafio você a ouvir esta faixa e não tornar-se um ardoroso seguidor da horda!

Quando você acha que o melhor já veio, chega "Dawn of the Apocalypse" que conta com a participação de David Martel (membro da Abstruse Custody). Que arregaço!!!!! A banda mostra como é possível ser agressiva e climática ao mesmo tempo.

A faixa que leva o nome do álbum merece um parágrafo a parte: "North", além de ser a faixa mais longa é também a mais climática. E, por isso, um dos maiores momentos da banda até hoje. Pra mim, uma perfeita definição do que deve ser o Black Metal: agressiva sem ser apenas barulhenta, climática sem ser sonífera e profana como um verdadeiro hino negro. Se a "cozinha desse disco já merece destaque, preste muita atenção no que fazem aqui.

Geralmente as últimas faixas da maioria dos cds não conseguem segurar o mesmo nível das anteriores (isso quando falamos de discos acima da média). Não é o que ouvimos em "Witchcraft". Há tantas mudanças de andamento e tantos acertos que fazem dessa uma faixa perfeita para o grande final em "Rites of the Black Moon".

E o que esperar de uma faixa com este nome? Um verdadeiro ritual!!! Seu começo totalmente climático prepara o ouvinte para a missa negra que se iniciará. 

2016 mal chegou em sua metade e já temos aqui um dos maiores lançamentos deste ano. Obrigatório na coleção de qualquer iniciado no Metal Negro!

(Daniel Aghehost)

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!