RESENHA: ORDINUL NEGRU - Faustian Nights (2018)
07/01/2019 19:48 em Resenhas

 

 

 

ORDINUL NEGRU - Faustian Nights

Label: LOUD RAGE MUSIC (Com distribuição oficial no Brasil por: HAMMER OF DAMNATION - Clique aqui para acessar o site)            




HISTÓRICO

Uma das mais importantes bandas do Metal Extremo romeno, a ORDINUL NEGRU iniciou suas atividades no ano de 2004.

Tendo como idealizador do projeto o multiinstrumentista Emanuel "Fulmineos" Matlak, hoje completam a formação o guitarrista Urmuz, o baterista Putrid e o baixista Orthros (parceiros na ARGUS MEGERE).

Depois de sete álbuns lançados (sendo o último o brilhante "Sorcery of Darkness", de 2015), a banda acaba de lançar "Faustian Nights" pela gravadora LOUD RAGE MUSIC. 

 

ANÁLISE

Para quem não conhece, a ORDINUL NEGRU, seguiu de 2004 até 2015 como um projeto paralelo do multi-instrumentista romeno Fulmineos. Só a partir de "Sorcery of Darkness" (2015) que a banda teve uma formação estável e segue assim.

"Faustian Nights" pode ser considerado, desde já, como o trabalho melhor produzido pela banda.

O clima denso e enigmático da pequena introdução de "Approaching the Door of Damnation" anuncia o início de uma viagem inesquecível ao inferno.

O começo instrumental, lento e pesado, mostra que estamos diante de um disco de respeito. Não chegamos nem na metade da faixa e são tantos grandes momentos que é impossível ouvir e não se emocionar com a extrema qualidade apresentada aqui. De verdade: poucas vezes pude ouvir algo tão inspirado em pouco mais de oito minutos. Aqui a banda oscila de momentos de pura calmaria ao mais extremo caos em questão de segundos. Tudo com grande maestria e técnica apuradíssima. Logo de cara já somos agraciados com um dos melhores momentos do álbum. Vale dizer que esta é a única faixa de "Faustian Nights" que tem a participação do antigo vocalista da banda, "S."

Quando conseguir avançar para a segunda música (após repetir a primeira por várias vezes), "Killing Tristan" surge de maneira rápida e brutal. A interpretação vocal  impressiona. O alcance vocal e as alternâncias apresentadas beiram o absurdo. Se apenas isso não bastasse, temos outro grande momento instrumental. Sabe aquele início rápido e brutal já mencionado? Pra nossa felicidade não é um andamento constante, já que momentos mais melódicos se fazem presente. E que momentos! De interessantes vocais ritualísticos adicionais a uma linha de teclado que contrasta brilhantemente com o clima criado pela música.

O nível continua elevadíssimo em "The Apocalypse Through a Hierophant's Eye", onde os riffs sinuosos proporcionam a condução ideal para momentos épicos. 

"Oculta Kormos" tem andamento inicial que lembra alguns momentos da francesa ALCEST. Mas as similaridades param por ai, já que as coisas soam ainda mais pesadas. Essa melodia mais progressiva casa perfeitamente com a agressividade que se instaura quando a ordem para que Roma seja incendiada é dada (“Burn it! Burn the city of Rome!”). As alucinações de Nero ilustram muito bem a profundidade da parte lírica de "Faustian Nights".Tendo como temas a escuridão da alma e o inferno pessoal de cada um, letras muito bem construídas enriquecem ainda mais esta obra.

Outros dois grandes momentos vem a seguir: Primeiro, "Elder Magick", onde a agressividade é suavizada por belas e negras orquestrações responsáveis pelo clima ritualístico proposto. Já a segunda, "Faceless Metamorphosis" é a faixa que mais remete a outra grande lenda romena: NEGURA BUNGET (onde Fulmineos esteve por breve período). Seja por sua agressividade técnica, sejam os elementos folclóricos que remetem à veia oriental, temos aqui outro grande momento do álbum. Tente ouví-la apenas uma vez se for possível!

Os teclados ressurgem de forma estupenda em "Sol Omnia Regit". Mesmo discretos, a harmonização com as guitarras em seu início conquistam de cara. E as coisas ainda ficam melhores conforme a música avança. Excelente ponte para a última faixa do álbum, "Faustian Nights". E não haveria forma melhor de encerrar esta obra. De começo agressivo (e também muito melódico) para um final extremamente épico (lembrando e muito certas bandas helênicas), esta foi a escolha perfeita para levar o nome do disco. Esta faixa possui os vocais de Daniel Neagoe (Eye of Solitude, Clouds) assim como a participação mais que especial de Edmond Karban (Hupogrammos - uma das mentes responsáveis pela lendária NEGURA BUNGET). Perfeita!

Digo mais uma vez: A melhor produção assim como uma formação coesa (não a toa, todos também são membros de outra lenda romena: ARGUS MEGERE - que também lançou, recentemente, um grande trabalho) trouxe o que de melhor a ORDINUL NEGRU poderia criar.

 

 

VEREDITO

Tudo neste álbum é superlativo. Começando por sua parte gráfica (assinada pelo brilhante Alexander Das, velho parceiro da banda), passando pela produção impecável e finalizando com músicas compostas por mentes mergulhadas no abismo (executadas por músicos acima da média) resultariam naturalmente em uma obra muito acima da média.

Este disco não só é obrigatório como é uma das melhores obras já lançadas pelo underground. De alma profunda, negra e caótica como o Black Metal tem que ser.

  

IMPORTANTE

Este disco é para poucos. Pessoas que nadam na superficialidade da mesmice devem passar longe de obras tão profundas quanto esta!

 

NOTA FINAL

Não deixe de conferir abaixo o vídeo para a faixa "Killing Tristan". Sem dúvidas, um dos vídeos mais interessantes que já vi. Repleto de simbolismos, ilustra muito bem o conceito do álbum. 

 

"Faustian Nights" está sendo distribuído oficialmente no país pela gravadora HAMMER OF DAMNATION. Mais um motivo para que esta obra-prima figure em sua coleção.

 

(Daniel Aghehost)

 

 

 

 

Track-List

1.Approaching the Door of Damnation

2.Killing Tristan

3.The Apocalypse Through a Hierophant's Eye

4.Oculta Kormos

5.Elder Magik

6.Faceless Metamorphosis

7.Sol Omnia Regit

8.Faustian Nights

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!