RESENHA: KURGAALL - Satanization (2018)
17/07/2018 20:43 em Resenhas

 

 

KURGAAL - Satanization

Label: Hammer of Damnation - Clique aqui para acessar o site 


HISTÓRICO

Banda italiana de Black Metal que teve seu início no ano de 2005. Seu primeiro álbum, "Summi Verbi Lucifer" (2011) transformou a KURGAALL em um dos principais nomes do underground europeu.

Lançou também os álbuns "Voluntas Luciferi" (2014) e "Fidem in Lucifer" (2016), além de splits com BLEEDING FIST (Slovenia) e GOATPENIS (Brasil).

Seu próximo álbum, "Satanization" teve lançamento mundial pela gravadora HAMMER OF DAMNATION

 

ANÁLISE

Em tempos onde o Black Metal divide-se em diversos subgêneros, apostando em sonoridades nada ortodoxas, discos onde apenas a crueza e a agressividade imperam merecem todo o destaque.

E "Satanization", da italiana KURGAALL, justifica todo o destaque merecido. Estamos diante de uma peça destinada ao caos e à destruição.

Não se deixe enganar pela suave introdução da faixa inicial, "Satanization". Estes serão os poucos segundos de calmaria que terá pelos próximos 38 minutos. Conclamada com extremo ódio por Lord Astaroth (vocais), este é um verdadeiro hino que remonta aos tempos onde o Black Metal era puro extremismo.

Rápida e muito bem construída (merecendo nota o excelente trabalho de guitarras realizado por Thasos e Inferith), "Satanization" é tudo o que uma música de Black Metal deve ser.

O sangue continua jorrando em faixas como "Demystification of Christ" (uma das mais extremas do disco), "Baussant" (de começo cadenciado e final arrebatador, "Baussant" possui um dos melhores instrumentais que ouvi ultimamente, credenciando-a como um dos melhores momentos do álbum. Impossível permanecer parado, principalmente durante seu "riff" principal) e "Nox Diaboli" (outro grande momento do álbum, com um riff memorável).

A faixa que mais destoa das demais é também a mais interessante de "Satanization". "Widow's Son" mantém o instrumental afiado e agressivo da banda, porém com uma condução vocal diferente das demais músicas. Os vocais limpos do veterano Mortiis (conhecido por seus trabalhos na EMPEROR e em seu projeto solo MORTIIS) criam uma atmosfera perfeita. 

Todo o ódio e agressividade iniciais retornam em "Supreme Cult of Satanism" (impossível ouví-la apenas uma vez), "Voivoda" (outra que mantém o clima proposto na faixa anterior. Mesmo rápida, possui uma atmosfera densa e negra com andamento inspiradíssimo).

"Satanization" encerra de forma brilhante com "Chapel of Astaroth", uma faixa que sintetiza muito bem o que é a audição deste álbum, mostrando todo o poderio e dedicação da KURGAALL com o metal negro.

 

DESTAQUES

Difícil enunciar apenas um ponto alto em "Satanization". Mas merecem destaques a extrema qualidade de sua produção, trazendo o Black Metal italiano a novos patamares. A impressionante qualidade técnica de seus membros fica ainda mais evidente com a excelente produção do álbum. 

E aqui cabe um parágrafo à parte dedicada a Algol. Se já merecia uma menção pelo trabalho monstruoso realizado na bateria deste álbum (em algumas passagens é preciso ouvir por várias vezes para termos certeza que um humano foi responsável por isso. Um dos melhores trabalhos de bateria ouvidos nos últimos tempos), ele ainda é responsável por todas as linhas de baixo. 

Quem vivencia o underground sabe de todo o esmero que a gravadora HAMMER OF DAMNATION possui com seus lançamentos e com "Satanization" não foi diferente: este álbum está em um luxuoso digipack e livreto interno contendo 12 páginas, destacando ainda mais a parte gráfica deste álbum.

 

VEREDITO FINAL

"Satanization" é, sem dúvidas, o puro exemplo de como o Black Metal deve soar.

Frio, cru, odioso e dotado de intensa blasfêmia, é altamente indicado para todos aqueles que possuem o inferno como devoção.

Pessoas sensíveis, passem longe!

 

(Daniel Aghehost)

 

 

 

Track-List

 

1.Demystification of Christ

2.Baussant

3.Nox Diaboli

4.Widow's Son

5.Superior Cult of Satanism

6.Voivoda

7.Chapel of Astaroth

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!