RESENHA: PROFANE CREATION - Portal do Inferno (2016)
24/03/2016 - 8h24 em Resenhas

Profane Creation - Portal do Inferno

 

Uma das melhores notícias do underground nacional em 2015 foi o retorno dos veteranos da PROFANE CREATION.

Banda seminal que lançou na década de 90 preciosidades como as demos "Prelude to Advertisement New Kingdom" (1994), "Supremacy" (1994) ou o Full-Lenght "Nema" (1995) - apenas pra citar alguns, teve alguns desses materiais relançados pela gravadora Hammer of Damnation.

Esses lançamentos motivaram a banda ao retorno, tendo sua formação hoje estabilizada com Wit (vocais), Rogers (bateria), Anyldo (baixo) e Rochester (guitarras). E com essa formação, tenho em mãos o primeiro lançamento após o retorno: "Portal do Inferno".

A "Intro" nos remete aos velhos tempos onde o Black Metal era muito mais climático que ultraveloz. Os sinos infernais anunciam o início de "Portal do Inferno", primeira composição nova em quase 20 anos! E muito em empolguei ouvindo essa faixa. Mostra que essa formação da PROFANE CREATION ainda tem muito a oferecer, já que esta é uma faixa muito inspirada. Grande volta!

Como é bom ouvir novamente as guitarras de Rochester "Cypher" (Por que não??) abrindo a clássica "Lost Souls"!!! Sou meio reticente a regravações por acreditar que a essência de tempos atrás dificilmente conseguirá ser recriada. Porém a banda acertou nessa faixa! Excepcional! Provando que esta é uma faixa que ainda arrepia os velhos apreciadores do Metal Negro Brasileiro como eu.

Uma das maiores faixas da história da PROFANE CREATION também ganhou uma regravação: "Supremacy" continua com seu clima denso, mesmo com uma produção inédita para a banda. Chega a emocionar cada um dos riffs dessa nova gravação. Sensacional!

É óbvio que os vocais de Wit são bem diferentes dos clássicos vocais do Ciro, mas é possível perceber também que a banda pode explorar muito mais a maior versatilidade do novo vocalista. 

"The Evil Survive", faixa retirada da primeira demo da banda - "Into the Dark Side" nem parece ter mais de 24 anos graças a esse novo arranjo recebido. Ouça sua demo empoeirada e ouça essa nova versão para comprovar o que disse. 

"Unholy Hordes", outra faixa inédita, aparece apenas para provar o quanto a PROFANE CREATION ainda pode produzir. Cadenciada, pesada e profana, essa faixa chega para ser um dos destaques do álbum.

Talvez o único destaque negativo ficou justamente para o momento no qual criei a maior expectativa: "Alone in the Abyss". Pra mim essa faixa é uma das maiores do Black Metal nacional e os novos arranjos não surtiram o mesmo efeito das regravações anteriores. Nesta versão, senti a falta do peso que lhe é característica. Uma pena, mas nada que apague o brilho deste lançamento. Mesmo assim fico contente em saber que a banda pretende utilizá-la principalmente ao vivo. 

O álbum fecha brilhantemente com o "Epílogo", criando um clima apenas com sons da natureza. Um final perfeito para um disco muito climático.

Merecem destaques também a excelente arte gráfica, tradição entre os lançamentos da Hammer of Damnation.

Este lançamento serve como um belo aperitivo para as próximas apresentações ao vivo da banda e, principalmente, para o próximo álbum.

Que venha em breve!

(Por: Daniel Aghehost)

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!