RESENHA: WALSUNG - Perpetual Blood (2016)
31/10/2016 - 21h08 em Resenhas

 

 

Walsung - Perpetual Blood

 

Pouco tempo depois de seu primeiro lançamento ("About Native Land" - da russsa GRAI) o selo VÖLUSPÁ mostra a que veio no underground e lança o excelente "Perpetual Blood", primeiro registro da WALSUNG.

Os segundos iniciais de "Perpetual Blood" (faixa que abre o disco) mostram o que teremos pela frente: Um grande disco de Pagan Black Metal como poucos no mundo. Impossível não se deixar levar pelos riffs inspiradíssimos de Oldwolf nesta faixa (também responsável pelos vocais, teclados e baixo neste trabalho). Os riffs convergem para o magnífico refrão. Desafio a qualquer um ouvir esta faixa e não ficar com o refrão em sua cabeça.

A pequena intro "Pagan's Demolition Squad" prepara muito bem o terreno para outro grande momento do disco: "Pagan Pride". Que faixa!!!!! Um dos momentos mais agressivos do álbum, conta com a grande participação de Warlord nos vocais. Estamos apenas na terceira faixa e já nos deparamos com um dos maiores lançamentos de 2016 (e por que não, do cenário Pagan Black Metal mundial de todos os tempos?)

"Forest's Whisper" quebra a agressividade de outrora, provando que a WALSUNG acerta tanto em temas agressivos quanto nos que beiram o acústico. Linda faixa de evocação aos tempos antigos.

E aqui deve-se dar a devida menção ao que é a WALSUNG. Seria de uma suprema ignorância achar que a sonoridade da banda se limita ao que conhecemos como Pagan Metal. A cada novo material torna-se impossível definir a sonoridade da banda, o que é uma excelente característica em tempos de sonoridades massificadas.

Outro grande momento (E não é que este disco é recheado de grandes momentos?) surge em "Wolf's Journey". Sabe aquelas faixas bem inspiradas de AMON AMARTH e outras bandas menos conhecidas? Esqueça tudo isso e ouça esta aqui. Pesada, cadenciada, com um grande trabalho de bateria (A cargo de Nidhogg), esta é uma faixa que sintetiza bem o trabalho da WALSUNG.

"Crown - The Obscurity" é outro momento épico. Cantado em uma língua que parece ser o islandês (não faço a mínima ideia... haha), chega a emocionar. 

"Wotansdienst", totalmente cantada em alemão, impressiona. Os vocais de OldWolf, sejam agressivos ou melódicos, estão acima da média do que estamos habituados a ouvir.

Merecem destaques também a linda "Old Trees", faixa que figurou no EP de mesmo nome, lançado no início deste ano e que conta com os teclados de Fellipe Magri. "Into de Cosmic Cataclysm", cover da veterana EVIL presente no clássico "Hammerstorm" (uma grande homenagem, já que esta versão iguala à original em qualidade) e também "A Wind Age, A Wolf Age", faixa-bônus do ano de 2005 onde, mesmo com uma qualidade de produção inferior, todo o poderia da WALSUNG pode ser comprovado.

Merece destaque também a excelente qualidade gráfica deste trabalho. Um primor visto poucas vezes em trabalhos do underground mundial. Mas que já está se tornando uma referência quando o assunto é lançamento da VÖLUSPÁ RECORDS.

Se bandas como BATHORY, FALKENBACH, MOONSORROW e outras do Pagan Black Metal lhe atraem, "Perpetual Blood", primeiro trabalho da WALSUNG, lhe é essencial. Se esta não é a sua área, mesmo assim, este disco lhe é essencial já que estamos diante de um trabalho ímpar.

 

(Por: Daniel Aghehost)

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!