Quarta-feira, 8 de junho de 2016 às 19:53 em Resenhas
RESENHA: BORKNAGAR - Winter Thrice

 

 

 

Borknagar - Winter Thrice

 

Quatro anos depois do mediano "Urd", eis que a BORKNAGAR apresenta um novo material: "Winter Thrice".

Você pode acusar a banda de várias coisas, menos de comodismo. Desde que adotou uma temática mais "limpa" a partir do disco "Quintessence" (2000) (e também com a entrada de Andreas "Vintersorg" Hedlund nos vocais), a BORKNAGAR oscilou entre bons e maus momentos, porém sempre com uma grande pitada de inovação em sua sonoridade.

"Winter Thrice" não foge à regra, oscilando muito em suas 9 faixas.

O disco abre com "The Rhymes of the Mountain", que resgata os bons momentos da banda. Tanto os elementos mais melódicos como os mais agressivos estão presentes. Grande faixa de abertura, servindo como um grande cartão de visitas para quem ainda (existe alguém?) não conhece o som dos noruegueses.

Destaque para os vocais de Vintersorg. Pode parecer exagero, mas sempre achei que seus vocais se destacam mais aqui que no próprio projeto solo do vocalista (e olha que os últimos discos do Vintersorg são um primor).

"Winter Thrice" apresenta, em seus primeiros segundos iniciais, uma linha vocal muito inspirada, mostrando o quão grandiosa é a música da banda. Porém, essa mesma grandiosidade pode representar um perigo pra banda, já que muitos tendem a achar o som pretensioso demais, cansativo demais.

Muitos alegam que a BORKNAGAR perdeu e muito do peso de seu som. Apesar dos lampejos na primeira faixa, esses lampejos voltam em "Cold Runs to River". E aqui percebemos que a banda também manda muito bem nas partes mais agressivas. Aliás, ponto importante: Talvez se a sonoridade fosse mais agressiva, a banda possuiria mais entusiastas.

"Panorama" vem justamente para ressaltar que a banda aposta no contrário: Faixas cada vez mais progressivas e bem trabalhadas, mostrando que o lado melódico é a preferência da banda. Essa faixa será utilizada como single em breve.

O progressivo segue em "When Chaos Calls". Uma faixa que retrata bem o momento atual da banda: Muito mais progressiva que agressiva, mas que ainda mantém resquícios (poucos, mas tem) de seu passado voltado ao Black Metal.

O disco segue com as medianas "Erodent" e "Noctilucent" (essa última com um lindo instrumental inicial, mas que não empolga com o tempo) até chegarmos em "Terminus". O começo desta empolga, com uma brutalidade até então não vista no play, porém logo voltamos para o som progressivo presente em todo álbum. Talvez a faixa que mais remete aos primeiros trabalhos da banda.

O álbum fecha com "Dominant Winds" provando que este é um trabalho complexo demais, direcionado pra todo aquele que possui a mente muito aberta.

Grande destaque para os vocais de Vintersorg, a tal ponto deste soar como mais um disco de seu projeto solo.

"Winter Thrice" não será o disco que conquistará novos fãs para a BORKNAGAR, mas com certeza fará seus fiéis seguidores mais felizes.

 

(Por: Daniel Aghehost)

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!